O mantra Om Mani Padme Hum (ॐ मणिपद्मे हूँ ), também conhecido como mani mantra, significa em sânscrito “Oh, joia do lótus’ ou ‘da lama nasce a flor de lótus’ e foi criado pelo Buddha Kuan Yin. Por outro lado, em tibetano escreve-se Om Mani Bêmê Hum (ཨོཾ་མ་ཎི་པདྨེ་ཧཱུྂ༔) e pronuncia-se Om Mani Peme Hung. Provavelmente esse é um dos mantras mais conhecidos do Budismo (especialmente o tibetano) que com suas seis sílabas afasta a negatividade e conecta com nossa capacidade de amar incondicionalmente. Estando associados ao espírito da Grande Compaixão, o Bodhisattva Avalokiteshavara (no tibete é conhecido como Chenrezig).

om mani padme hum

Ele representa o início de todas as ações e de todos os mantras, pois com a vontade genuína de se entregar a todos os seres sencientes. Dessa maneira, ele tem a capacidade de acalmar os pensamentos, livras a mente de pensamentos grosseiros e elevar a consciência para entrar em contato com energias sutis, preenchendo de força e paz.

Aprecie:

Os mantras devem ser recitados continuamente com a consciência no significado de cada sílaba, trazendo a força da intenção para cada sílaba. Quando estiver recitando o mantra, visualize frases de iluminação, como por exemplo: “Eu sou Chenrezig o ser manifesto de absoluta compaixão feita de luz”, “Todos os seres também são Chenrezig”, “Toda existência é uma mandala celestial de Terra Pura”, “Todos os sons são mantras sagrados”, “Om Mani Peme Hung”, “Compaixão e Sabedoria são Um”.

As seis sílabas de Om Mani Padme Hum

Em primeiro lugar, Om representa a conexão com todos os Budas. Ela é a sílaba sagrada encontrada nas religiões indiana. Representa a totalidade do som, da existência e consciência. A manifestação para purificação do ego e do orgulho, da necessidade de buscar as conquistas para si. Enquanto é entoado, Om traz plenitude e permite que a pessoa saia de seus círculos viciosos emocionais e mentais, ampliando sua consciência e conectando com realizações mais sutis do espírito. Ela fecha o sofrimento de renascer no Reino dos Deuses que faria com que houvesse a previsão da própria queda, ou seja, morrer e renascer em um reino inferior.

Ma traz a purificação da inveja, ela permite que possamos nos felicitar com a alegria de outros seres. Pense o quanto é alegrador ter a capacidade de ser feliz com cada conquista de um ser senciente. Sobretudo esse é um caminho para a felicidade ensinado pelo Budismo: conseguir ficar profundamente alegre quando está em contato com a alegria alheia. Pois no sentido contrário, se nos alegramos apenas com nossas conquistas, teremos apenas uma fonte de felicidade: nós mesmos. Percebe que quando ficamos felizes com as conquistas dos outros temos várias e várias de fontes de felicidade. Por sua vez, ela fecha a porta do sofrimento de renascer no Reino dos Deuses Guerreiros (asuras em sânscrito), onde há guerras e conflitos constantes.

Ni purifica as paixões que cegam o indivíduo. Elas viciam e geram pensamentos e ações repetitivas, buscando repetidamente algum tipo satisfação. Apesar das paixões trazerem consigo grande energia, por outro lado elas se dissipam com o passar do tempo e como aroma no vento, mudam de direção. Então, quem está envolvido com elas, acaba sem rumo, perseguindo infinitamente algo que nunca trará verdadeira plenitude. Ela fecha a porta para o sofrimento de renascer no Reino Humano, onde existe a dor do nascimento, vida, velhice e morte.

A palavra Mani significa Joia, aquela que é capaz de limpar a aura, eliminando as energias negativas.

Seguindo a jornada

Pad invoca a purificação da ignorância, com o coração e a mente leves, ela convida a se preencher de sabedoria. Assim, temos a abertura na mente para saber como as coisas são verdadeiramente, sem buscar ilusões que acalmam temporariamente. Apenas sabendo a verdade, em seus aspectos bons e maus, é possível tomar decisões profundas e poderosas. Assim, devemos buscar fortalecimento de nosso espírito para gradualmente sabermos mais sobre o mundo interior e aquele que nos cerca. Por sua vez, ela fecha a porta do sofrimento de renascer no Reino Animal, que sofrem por sua falta de conhecimento, pela caça de um pelo outro e pela morte vinda dos homens.

Me traz a purificação da ganância. Somos escravos de tudo aquilo que possuímos, uma vez que queremos manter e aumentar nossas posses. Quando invocamos a purificação da vontade humana de ter cada vez mais, estamos abrindo espaço em nossa mente para os verdadeiros tesouros da vida: um caminho de luz no mundo. Por outro lado, o apego, fonte da infelicidade segundo o Budismo, gera a necessidade de posse. Porém, ela é ilusória.

Tudo que é verdadeiramente seu não pode ser tirado de você. Se algo que você acredita ser seu possa ser tirado de alguma forma ou em algum momento, então não é propriamente seu, você apenas está usando temporariamente. Em resumo, cultive aquilo que é seu de verdade e não ficará correndo atrás de sombras. Aqui fecha-se a porta para renascer no Reino dos Fantasmas Famintos (pretas em sânscrito) que sofrem continuamente com a fome e a sede.

Padme significa Lótus, representando a sabedoria. Adicionalmente, ela traz a harmonia para a aura, após ter sido limpa pela invocação de Mani.

Concluindo a jornada

Hum purifica o ódio. Aqui nasce a paz profunda e silenciosa, pois aquele que se livra do ódio, abre espaço em seu coração para amar. Não é possível a convivência dos dois no mesmo lugar. Assim, seremos tão amorosos quanto deixarmos de odiar. Qualquer pensamento odioso deve ser suplantado por uma quente onda de amor incondicional. Como resultado, não importa a quem se destina. E ela fecha por último a porta de renascer no Reino do Inferno, onde o sofrimento é o calor e o frio contínuo.

Buda Lotus

O significado de Om Mani Padme Hum segundo H.H. Tenzin Gyatso, o 14° Dalai Lama

“É muito bom recitar o mantra Om Mani Padme Hum, mas enquanto você o faz, deve pensar no significado, pois o significado das seis sílabas é grande e vasto… A primeira, OM… simboliza o corpo, fala e mente impuros do praticante, mas também simboliza o corpo, fala e mente puros exaltados de um Buda…

O caminho é indicado pelas próximas quatro sílabas: MANI, que significa joia, simboliza a … intenção altruísta de se tornar iluminado, compassivo e amoroso…. As duas sílabas, PADME, que significa lótus, simbolizam a sabedoria… A pureza deve ser alcançada por uma unidade indivisível de método e sabedoria, simbolizada pela sílaba final HUM, que indica indivisibilidade…

Assim, as seis sílabas Om Mani Padme Hum, significam que, dependendo da prática de um caminho que é uma união indivisível de método e sabedoria, você pode transformar seu corpo, fala e mente impuros no corpo, fala e mente puros exaltados de um Buda… “

Ensinamento do Caminho do Bodisatva

A Essência da Compaixão

Dessa forma, Om Mani Padme Hum é um mantra relacionado com a jornada do bodisatva. Ele é qualquer ser (sattva) que movido por uma grande compaixão gera iluminação (bodhi) para o benefício de todos os seres sencientes.

Dilgo Khyentse em seu livro A Essência da Compaixão nos ensina a visualizarmos enquanto entoamos mantras que nosso corpo se transforma em vestimenta para quem precisa de roupas e está com frio, em teto para quem está desabrigado e em comida para quem sente fome.

Além disso, ele ensina também que visualizemos como se estivéssemos chamando todos os espíritos que desejam fazer o mal a qualquer um dos seres.

Da mesma forma, oferecemos nossa própria carne para que eles possam comer, nosso osso para que possam roer, nosso sangue para que possam beber e enquanto estão se deliciando com a oferenda, a iluminação (bodichita) começa  a brotas em suas mentes.

Como Shantideva ensina, em O caminho do Bodisatva:

Possa ser eu um protetor para os que vivem desamparados,

Um guia para os viajantes que seguem pelas estradas;

Para os que desejam cruzar pra a outra margem,

Possa eu ser uma balsa, um barco, uma ponte.

 

Possa eu ser uma ilha para aqueles que anseiam por terra firme,

Uma lamparina para aqueles que desejam luz,

Para aqueles que precisam de descanso, um leito;

Para todos os que necessitam de serviço possa eu ser seu servo.

 

Possa eu ser a joia que realiza os desejos, o vaso da fortuna,

Um mantra poderoso e a suprema cura.

Possa eu ser a árvore dos milagres,

E, para todos os seres, a vaca da abundância.

 

Tal como a terra e o espaço,

E todos os outros elementos poderosos,

Para incontáveis multidões de seres vivos,

Possa eu sempre servir de esteio e ser uma fonte de sustento.

Versão de 3 horas de Om Mani Padme Hum

Para saber mais

O Caminho do Bodisatva

E se você quiser conhecer sobre budismo tibetano por exemplo, aqui tem uma linda entrevista com o médico tibetano Lama Tulku Lobsang Rinpoche