Você já parou para pensar no que precisa de verdade? O que lá no fundo coloca sua mente e sua vontade em ação? Existem aquelas necessidades de que corremos atrás no dia a dia para conseguir nos manter vivos, seguros e satisfeitos. Acho que nesses assuntos somos craques. Sabemos que precisamos comer, dormir, reproduzir, não deixar que nada nos mate e tudo mais.

Aprendemos com Maslow que buscamos tudo isso dentro uma hierarquia, resolvendo questões mais básicas para então termos cabeça para as mais complexas.

Até aí tudo certo. O ponto é que, enquanto as questões mais próximas do mundo físico são jogadas na nossa cara diariamente, aquelas que tem relação com algo mais subjetivo, muitas vezes nos afeta, mas não nos damos conta disso.

Necessidades humanas básicas

Podemos pensar que os seres humanos:

  1. Querem ser ouvidos na essência, que os outros entendam o que se passa dentro de nós;
  2. Ser amados, notados e reconhecidos, sentir que o outro sabe que estamos ali e que nos aprecia;
  3. Ter o direito de errar, porque uma certeza é que erraremos, somos imperfeitos;
  4. Sentir que pertencemos a grupos, pois somos seres sociais.

Convido você a pensar como nos sentimos quando algum desses falta em nossas vidas. Imagino que não seja algo bom. Quantas vezes não ouvimos alguém reclamar que o outro não o ouve, não o entende? Ou então se entristece porque se sentiu ‘invisível’ em uma festa?
Por outro lado, quando elas estão preenchidas, nos sentimos bem. Não é gostoso quando somos chamados para um encontro, nos dão atenção e ainda riem de nossas piadas? Ou então, quando nos dão uma segunda chance por alguma bobagem que fizemos? É disso que estamos falando.

Conquistar essas realizações torna a vida uma delícia.

 

Dicas para satisfazer suas necessidades e as dos outros

E como podemos conseguir isso? Estar em ambientes, contextos e companhias que nos dão essa alegria é uma excelente estratégia.

Como nosso tempo é limitado, saber escolher é fundamental para nossa saúde física, mental e emocional.
Outro pensamento é o de que geramos comportamentos nos outros quando fazemos primeiro.

Como na brincadeira ‘siga o mestre’. Assim, a ideia é oferecer às pessoas o que quer que elas façam para você. Não como um comércio, mas sim como uma oportunidade de mostrar ao outro como é bacana agir daquela maneira. Viver através do exemplo.

Falando nisso, temos sempre a oportunidade para fazer outras pessoas felizes. Nos nossos relacionamentos, o que estamos oferecemos?

Olha que bacana essas estratégias:

  • Quando estivermos conversando, podemos deixar de lado o celular e outras distrações e manter na mente a frase: ‘ESTOU PRESENTE’;
  • Podemos dizer àquela pessoa o quanto apreciamos sua companhia e fazer um elogio sincero;
  • Temos a oportunidade de ser menos críticos e permitir que falhas aconteçam, não estamos no controle de quase nada;
  • Podemos integrar as pessoas, apresentar pessoas interessantes a outras pessoas interessantes, ser agregador.

Somos mágicos quando damos o que o outro deseja profundamente, fazendo alguém feliz com a gente, consigo mesmo e com sua vida.