fbpx

Guilherme Lima, aluno do Curso de Liderança, mobiliza ajuda a famílias vítimas de incêndio em Paraisópolis

//Guilherme Lima, aluno do Curso de Liderança, mobiliza ajuda a famílias vítimas de incêndio em Paraisópolis

No primeiro dia de Março deste ano um incêndio tomou conta de cerca de 400 barracos em Paraisópolis, comunidade carente da capital paulista. O aluno Guilherme Lima (16) do Instituto Loureiro não teve dúvidas: elaborou um plano de ação e moveu sua rede de contatos para prestar ajuda humanitária para as famílias atingidas por essa tragédia.

Quem é Guilherme Lima?

Guilherme é aluno do Ensino Médio do Colégio Santo Américo, integrante do projeto Ismart, desde cedo demonstrou preocupação com o próximo. Treinado pessoalmente por Marco Loureiro e Débora Loureiro, participa do Curso de Liderança e de processos de Coaching e Mentoring no Instituto Loureiro há 2 anos. Filho de militares, tem paixão pelo conhecimento e pela disciplina mental. Amante de História, tem como objetivo fazer Engenharia Aeronáutica.

Vontade em ação

Guilherme Lima Ação Paraisópolis DoaçõesUtilizando de sua enorme energia e foco, desenvolveu estratégia de ação, montou uma equipe de trabalho, fez negociações e conseguiu a façanha de arrecadar e entregar cerca de 2 toneladas de doação em pouco mais de uma semana.

Ele conversou com a gente sobre essa ação e nos mostra como é possível com boa vontade, visão estratégica e ferramentais mentais poderosas, gerar resultados extraordinários.

Confira abaixo a entrevista que ele concedeu ao site do Instituto Loureiro:

Conta pra gente o que aconteceu em Paraisópolis no dia 1 de março.

Guilherme Lima: Eu não sei ao certo a origem do incêndio, só li que haviam queimado 60 barracos alguma coisa assim e centenas de famílias perderam tudo porque os barracos eram precários. Tinha bastante gente até sem comida, estavam apenas com os filhos.

Como foi pra você receber a informações que houve esse incêndio?

Guilherme Lima: Foi um choque, né? Eu não consigo descrever direito, só sei que me tocou e eu pensei o que eu poderia fazer por eles.

Como surgiu a ideia de mobilizar pessoas e empresas para ajudar as famílias que tiveram suas casas destruídas? O que mais motivou você?

Guilherme Lima: Eu fiz um encontro de Jovens em 2016 e aí a gente tinha nosso grupo. E aí eu perguntei se o Pax estava fazendo alguma coisa pra aquilo. Aí eles falaram que não e eu tomei a iniciativa de mobilizar isso. . No início pensei em deixar só no meu círculo que é o pessoal que fez o mesmo Encontro que eu, mas eu pensei em expandir e deu no que deu.

O que mais me motivou foi essa questão de tentar ajudar o próximo. Achei que era meio minha obrigação fazer alguma coisa assim ou participar de alguma coisa assim.

Como você fez para transformar essa ideia em realidade?

Guilherme Lima: A primeira coisa a fazer foi organizar uma equipe que dava pra fazer isso. Antes de organizar a equipe eu precisava pensar em local e essas coisas. Então eu pensei no Colégio Santo Américo (CSA) (onde eu estudo) e eu precisava de um contato em Paraisópolis. Eu tinha um amigo no Facebook que era amigo do Acácio que é um dos representantes do apoio familiar de Paraisópolis e aí a partir dele eu entrei em contato com ele. Depois de ter falado com o Acácio, falei com o D. Marcelo (diretor do colégio), que me encaminhou para a Naty que é a responsável pela Pastoral do Santo Américo.

Depois de ter entrado em contato com a Pastoral do CSA, entrei em contato com a Pastoral do Pax, Chamei mais três amigos que fizeram o mesmo encontro que eu, da série de baixo e um dos monitores do Encontro.

Isso tudo foi durante o Carnaval. Na primeira semana assim que começaram as aulas, falei com o Chicão (coordenador do Ensino Médio do CSA) e depois de ter falado com ele, me autorizou a passar pelas salas divulgando e logo em seguida falei com o pessoal da APM. Depois a gente foi no Marketing do CSA que foi divulgada a campanha no Facebook.

Quais os resultados e em quanto tempo?

Guilherme Lima: A campanha durou da terça (volta às aulas) até a outra quarta de manhã. Uma semana e um dia. Os resultados foram surpreendentes. Eu esperava que tivesse bastante adesão mas não tanto. Isso chegou no Insper que doou 213 kg de alimentos. A avó de uma amiga ela ao saber que estavam com poucas fraldas ela comprou 1 tonelada de fraldas e bastante Leite Ninho pros bebes. Além de muitas roupas, quase não cabia na Pastoral, tinha na Educação Infantil. Deu quase 2 toneladas de coisas.

Um fato curioso é que era para as entregas serem feitas no sábado, porém por uma questão de logística eu pensei em adiar para receber mais doações. Então ficou para quarta-feira. No domingo aconteceu um segundo incêndio em Paraisópolis. Então foi meio que Deus me avisando isso (adiar).

Qual foi sua principal dificuldade e como você superou ela?

Guilherme Lima: A principal dificuldade que enfrentei foi a questão do tempo. Porque eu ia trabalhar nesse Encontro que teve agora (estou em uma das equipes que tem mais atividades). No meio da semana uma amiga me chamou para fazer mais alguns projetos em que a gente está realizando no momento. Então o tempo foi um dos maiores inimigos.

O que mais surpreendeu você nessa ação?

Guilherme Lima: O que mais me surpreendeu foi a dimensão que isso tomou. Começou com algo que era só pra ficar no meu círculo, mas quando eu vi a gente estava recebendo doação do Insper, de empresários, das mães do Santo Américo. Foi muito maior do que eu imaginei do que seria, fiquei impressionado com a adesão, graças a Deus.

De que maneira o que você aprendeu no Curso de Liderança do Instituto Loureiro ajudou nessa ação voluntária?

Guilherme Lima: O Curso me ajudou bastante durante todo o processo, porque no Curso a gente aprende a montar uma equipe para cobrir suas fraquezas, por exemplo, eu sou Tubarão

[gosta de fazer as coisas rapidamente] e eu ia precisar de um Lobo pra organizar tudo isso [Guilherme se refere aos perfis comportamentais de Ned Herrmann]. E o curso ajudou bastante na montagem da equipe. Na forma de negociar pra conseguir os aliados e o espaço no CSA. Nas questões de logística também.

O Curso influenciou bastante pra que o projeto tivesse continuidade. Seja na negociação, formação da equipe, no próprio marketing e no fato de ter que assumir a liderança disso, porque fui eu que tinha que fazer andar. Fui o cabeça daquilo.

Aí você vai instituir data, prazo, verificar o marketing, autorizar, ver se está bom, essas coisas. Essa questão de assumir a liderança foi fundamental e o curso ajudou bastante.

Que mensagem você pode deixar para as pessoas que estão lendo essa entrevista?

Guilherme Lima Ação Paraisópolis AjudaGuilherme Lima: Pra quem está lendo, sempre que acontecer isso, quando puder ajudar, tomem a iniciativa, ou procurem alguém que já tomou essa iniciativa pra você colaborar. Cara, é sensacional, não tem preço, você está ajudando outro ser humano, é um semelhante a você, praticamente um irmão. Foi um dos maiores ensinamentos de Jesus: Ame o próximo.

Essa é a mensagem que eu queria passar, tentar repercutir: se um aluno do Ensino Médio, sem diploma sem nada conseguiu tanta coisa, imagine se mais pessoas se unissem? Pessoas bem mais poderosas que eu… isso teria um poder imenso, um poder de mudança. Infelizmente o governo não vai fazer nada, então é o setor privado que vai ter que agir nessas situações emergenciais.

Valeu a pena?

Guilherme Lima: Sim, valeu muito a pena. Deu trabalho, cansou, teve correria, teve dia que eu dormi muito pouco, mas valeu a pena!

Humanistas

O Instituto Loureiro de Desenvolvimento fica extremamente orgulhoso de ter o Guilherme Lima em seu quadro de alunos. Como é bom participar da história de pessoas que se importam com o próximo.

Vimos nessa entrevista como é importante ter contato com pessoas que geram sinergia, participar de grupos sociais que tem a mesma visão de mundo e ter a habilidade de mobilizar pessoas em uma mesma direção.

Somos Humanistas e acreditamos que são com boas ações que tornamos o mundo um lugar mais seguro, especialmente para quem está em situação de vulnerabilidade. Utilizar o seu poder intelectual, social, financeiro, político, em prol do próximo faz parte do mundo que acreditamos.

Por isso nos empenhamos em empoderar pessoas que querem fazer intervenções poderosas no mundo e na vida das pessoas. Poder para Iluminar.

Desejamos que a sua iniciativa seja um exemplo para muitas pessoas. Parabéns!

Confira abaixo algumas fotos dessa ação:

Nuvem de Palavras Guilherme Lima

Por | 2018-06-06T11:19:09+00:00 27 março 2017|Matérias|

Sobre o Autor:

Presidente do Instituto Loureiro de Desenvolvimento Humano e da Novah Agência de Comunicação. Desenvolvedor humano, coach, mentor, professor, escritor, matemático, terapeuta corporal ayurvédico e tântrico, autor e palestrante. Pesquisador e um dos pioneiros da aplicação integrada de técnicas e conceitos de Pedagogia, Coaching, Mentoring e Ayurveda no desenvolvimento de pessoas. Atuou durante mais de 20 anos como professor e palestrante, tendo desenvolvido milhares de pessoas ao longo desse período. Cursou Engenharia Civil, Bacharelado em Estatística, Licenciatura de Matemática e Marketing com especializações nas áreas de Psicologia, Educação, Marketing e Astronomia, pelas instituições USP, FGV, FAAP, UNIP. Violonista clássico, geek e colecionador de livros e documentos raros.

Deixe um Comentário

converse agora