fbpx

Equilíbrio emocional: mantendo o controle do universo interior

//Equilíbrio emocional: mantendo o controle do universo interior

Ao longo do dia, você percebe suas emoções equilibradas ou tem uma montanha-russa aí dentro? Uma hora está bem, acontece alguma coisa e já fica nervoso ou triste? Pequenas coisas tiram você do sério ou jogam para baixo? Que nota de 0 a 10 você dá para seu equilíbrio emocional?

Viver com Equilíbrio EmocionalQuando pensamos em uma semana ou em um mês, existe uma continuidade de sentimentos, ou há uma variação dependendo do momento? Se sim, existe um padrão? Em quais momentos existe um desequilíbrio, uma fase que suas emoções mudam repentinamente? Qual a origem disso? Física ou mental?

O que poderia ser feito, que quando for feito, trará um equilíbrio emocional ao longo do tempo? O que acontece que faz com que suas emoções não sejam constantes e positivas?

Independentemente da origem, se as oscilações emocionais estiverem sendo severas, o que você acha de buscar a ajuda de um profissional? Muitas pessoas acreditam que somos os únicos responsáveis pelo que sentimos e então, se estamos mal a culpa deve ser nossa.  Existem diversos fatores que podem levar a essa situação.

Essa é a terceira de doze área fundamentais da vida avaliadas na Roda da Vida.

Buscando o equilíbrio emocional

EquilíbrioEm um aspecto mental, as emoções são o termômetro da alma, são a reação de nosso sistema a determinado estímulo. Naturalmente, essas reações dependem não apenas do está o sistema está sendo exposto, mas especialmente da composição e do estado desse sistema.

Assim, as reações emocionais que experimentamos ao longo do dia variam de acordo com a forma que estamos naquele momento. Se por algum motivo estamos mal, reagiremos de maneira negativa, teremos a vivência de emoções ruins e as creditaremos ao evento em si.

A questão não é propriamente o que acontece, mas sim a forma que permitimos nos sentir frente ao acontecido. Continuar o rumo com equilíbrio emocional.

Em um dia, naturalmente vivenciaremos uma série de situações que poderão, ou não, desencadear uma serie de emoções em nosso sistema. Essas emoções podem ser positivas ou negativas, dependendo de como nos posicionarmos.

Algumas pessoas podem argumentar que as emoções são incontroláveis e que estamos sujeitos a elas. Essas pessoas buscam empreender seus esforços no mundo, tentando a todo custo transformar o externo em um lugar favorável para que seus sentimentos sejam positivos.

Paz para a mente

Uma excelente sugestão para aumentar o equilíbrio emocional é começar a praticar Meditação regularmente. Essa prática gradualmente vai aumentando a percepção de bem-estar e o autoconhecimento. Conseguimos ganhar perspectiva de nossas emoções e formas de pensar ao conseguir um espaço para contemplar o nosso Universo interior.

O que está no nosso controle?

Controle da vidaA questão é que não controlamos o mundo, a parcela que está sob nossa tutela é absolutamente pequena. Além disso, é facilmente alterável de acordo com uma série de elementos externos.

Assim, não temos a capacidade de controlar todos os fatores que influenciam no meio que estamos inseridos. Dessa maneira, ao tentarmos construir e manter um mundo que julgamos ser ideal passa a ser uma utopia, um desgaste contínuo e um conjunto de frustrações.

O que temos em nossas mãos é nosso equilíbrio emocional, nosso palco interno de reações.

Basta que imaginemos como seria o ideal de sala de nossa casa. A que você tem hoje, quão perto está desse ideal? No caso de ser esse ideal, qual energia você tem que desprender para mantê-la assim?

E a cada segundo, não seria uma tortura tentar manter tudo igual? Perceba que qualquer coisa fora do lugar já não seria exatamente esse ideal.

Nossas emoções são livres do mundo exterior

Ao imaginarmos que nossas emoções estão sujeitas ao ambiente que estamos inseridos, conferimos um poder enorme ao que está fora de nós e longe de nosso controle real. O que existe é a oportunidade de tomarmos o controle de nossas emoções e nos responsabilizarmos por aquilo que sentimos.

Se em uma mesma situação duas pessoas reagiriam de forma diferente, então a questão não seja o que aconteceu, mas quem está passando por ela.

A forma de encarar esse evento pode moldar a reação emocional frente a ele. Ressignificar determinada situação pode levar a mantermos nossas emoções dentro de um nível sem grandes oscilações.

“Ressignificar: 1. Atribuir novo significado a” – Dicionário Houaiss

“Ressignificação é um método utilizado para que as pessoas possam atribuir novo significado à acontecimentos, através da mudança de sua visão de mundo, percebendo-o de maneira mais agradável, proveitosa e eficiente” – Verônica Stasiak Oliveira, psicóloga – blog Cotidiano e Psicologia

Influências do passado

Lidando com o PassadoAlgumas vezes, vivenciamos mudanças em nosso humor por causa de símbolos que representam algo de ruim que experimentamos no passado e ele nos faz reviver aquelas emoções.

Esses gatilhos mentais foram implantados em nosso sistema devido a alguma experiência. E quanto maior impacto emocional e mais jovens formos, mais profundamente estará presente no inconsciente.

Assim, muitas vezes sem saber, somos sujeitos ao impacto emocional que revivemos por causa de algo que lembra o que machucou ou estressou. E essa volta ao passado, de conexão com algo que não está bem resolvido em nossa mente, pode fazer com que nossas emoções variem.

As nossas crenças e o que está implantada em nossa mente tem mais poder do que o nosso racional. É preciso atuar diretamente naquilo que acreditamos. Atuar no quarto nível da Pirâmide do Processo Evolutivo.

Então mudamos a nossa forma de agir, de pensar e de enxergar o mundo, baseados nessas reações emocionais.

Deixando para trás

Deixando o passadoA questão é que não necessariamente o que aconteceu, esteja acontecendo naquele momento. Pode ser que tenha sido algum evento que teve seu tempo e seu lugar. Nossas reações negativas buscam nos proteger, impedir que aquilo aconteça novamente.

O problema é que se estiverem deslocadas no tempo e no espaço, podem gerar inconsistências em nossas atividades e assim, podemos tomar decisões erradas ou interagir de forma equivocada com relação a pessoas, locais ou eventos.

Trabalhe sua autoestima, sua capacidade de viver no presente, de se livrar de amarras de situações que não existem oportunidades.

Ao conseguirmos ressignificar, sozinhos ou com ajuda, colocamos as coisas em suas devidas proporções, lugares e tempos. Não permitimos que afetem nosso dia a dia, não somos mais reféns dessas emoções, nem permitimos que elas atrapalhem nossas vidas e nossos sonhos. A questão é a de mudarmos a forma que vemos o que nos machuca.

Por | 2018-06-06T11:19:07+00:00 19 abril 2017|Conheça a si mesmo|

Sobre o Autor:

Presidente do Instituto Loureiro de Desenvolvimento Humano e da Novah Agência de Comunicação. Desenvolvedor humano, coach, mentor, professor, escritor, matemático, terapeuta corporal ayurvédico e tântrico, autor e palestrante. Pesquisador e um dos pioneiros da aplicação integrada de técnicas e conceitos de Pedagogia, Coaching, Mentoring e Ayurveda no desenvolvimento de pessoas. Atuou durante mais de 20 anos como professor e palestrante, tendo desenvolvido milhares de pessoas ao longo desse período. Cursou Engenharia Civil, Bacharelado em Estatística, Licenciatura de Matemática e Marketing com especializações nas áreas de Psicologia, Educação, Marketing e Astronomia, pelas instituições USP, FGV, FAAP, UNIP. Violonista clássico, geek e colecionador de livros e documentos raros.

Deixe um Comentário

converse agora