fbpx

Análise do Episódio Toda a Sua História | Black Mirror T1:E3

//Análise do Episódio Toda a Sua História | Black Mirror T1:E3

Como você lida com o passado? O que você faria se pudesse ter acesso a qualquer momento de absolutamente tudo que fez, viu e ouviu? Como se estivesse lá. E mais, como seria sua vida se pudesse ver em detalhes tudo o que outra pessoa fez? Todos esses questionamento vem à mente enquanto assistimos ao episódio Toda a Sua História (The Entire History of You).toda a sua história

De fato, quando observamos os problemas, angústias e dilemas de uma pessoa, inevitavelmente somos levados a eventos do passado que não foram bem trabalhados.

E eles voltam para assombrar o presente. Impedem que as pessoas tenham uma conexão profunda e verdadeira com a vida e com o momento presente.

Elas ficam presas em suas memórias e se comportam como se estivessem em um filme em loop, voltando e voltando nas mesmas cenas indefinidamente.

Isso rouba sua energia, seu tempo, seus recursos e danifica seus relacionamentos.

***ALERTA DE SPOILER: Atenção! Se você não quiser saber o que acontece no Episódio Toda a Sua História de Black Mirror, não continue a leitura. ***

Limites éticos

O episódio Toda a Sua História começa de maneira direta com um questionamento ético sobre o uso do registro de memórias para ganhar causas relacionadas a ressarcimento de prejuízos por conta de abandono afetivo por parte dos pais na infância. Aqui, Toda a Sua História, apresenta o questionamento ético de usar informações privadas para resolver questões jurídicas.

reunião

Usar informações que foram geradas em caráter privado para exposição e julgamento de modo a ter algum tipo de ganho. Esse é um problema que vemos avançando dia após dia com a rastreabilidade e armazenamento de informações deixadas através da utilização de tecnologia (navegação de sites, uso de redes sociais, compartilhamentos de dados etc.) e da fácil produção de vídeos e áudios de forma escondida

Além disso, denuncia também a expõe a vontade que algumas pessoas tem de responsabilizar sua criação e seus pais pelos problemas causados na vida adulta. E para sustentar seus pontos de vista, passam a argumentar usando lembranças que possuem, recortando o passado de forma a se moldar em seus interesses.

Veremos essa questão de projeção de culpa mais adiante.

Suas lembranças rastreáveis podem ser usadas por empresas e governos

Tanto na cena inicial da entrevista de Liam (Toby Kebbell) quanto eu seu embarque para encontrar sua esposa Fi (Jode Whittaker) em Dublin, é possível ver que as empresas privadas e os órgão do governo usam as informações pessoais armazenada para controle e tomadas de decisão. Eles pedem acesso aos arquivos de suas memórias para decidir se farão uma contratação ou deixarão que seja realizado um embarque.

aeroporto

Toda a Sua História traz à tona novamente o limite ético entre os interesses coletivos e a privacidade do indivíduo. Atualmente vemos isso em um cenário que não é bem definido, onde existem vendas e compartilhamento de informações de pessoas.

Vivemos na Era do Dados (dataísmo), como diz o autor Yuval Harari em seu incrível Homo Deus. Nessa período de nossa história, estamos freneticamente gerando dados e informações. Depois deixamos registradas em algum lugar. Nossa localização, o que compramos, gostos pessoais, desejos profissionais, posicionamento político, preferências sexuais. Deixamos rastros imensos de quem somos e da forma que pensamos e sentimos. Aceitamos sem ler as condições de uso dos dados gerado por aplicativos, sites e redes sociais.

Se por um lado estamos em geral inconscientes do uso de nossos dados, por outro existem organizações que as estão utilizando para seus propósitos. E isso tende a aumentar com a crescente facilidade para geração de mais dados e mais compartilhamentos.

Grain

Os chips de Toda a Sua História que contém todas as memórias são chamados de Gãos (grains). Isso nos lembra imediatamente a ideia de plantação, semeadura. Como quebig-data se cada indivíduo fizesse parte de um grande cultivo para então haver a colheita. O resgate e utilização desses informações.

Cada pessoa passa a ser um criador de memórias que serão usadas no futuro, fazendo parte de uma grande massa que também está produzindo uma quantidade gigantesca de informações.

E a colheita que cada grão contribui poderá ser realizada através de processamento de informações individuais e também de imensas bases de dados com cruzamento de informações através de técnicas de Mineração de Dados (Data Mining) e Big Data.

Meias vermelhas

Um detalhe no vestuário que Liam está usando no início do Toda a Sua História que chama a atenção: suas meias são vermelhas. Todo a sua roupa é formal, pertinente a um advogado de uma grande corporação, porém suas meias destoam desse figurino.

O vermelho é a representação da raiva, do desejo, da energia interna e da urgência. Esse simbolismo contrata com a aparência e postura comedida, observadora e atenta de Liam.

Pelo fato do vermelho está em seus pés, remete à ideia de movimento e ação. Uma energia contida de agir. Suas meias vermelhas indicam que ele está perto de seu limite de controle emocional.

Fi

A perfeição

O nome dos personagem eventualmente dizem muito sua concepção e papel na trama. Nesse caso, o nome Fi (ou do grego Phi – Φ) remete ao simbolismo matemática da Razão Áurea. Esse seria um número que representa a proporção perfeita, ou a beleza perfeita. Seria o parâmetro para as proporções ideais, encontrado em diversas partes da natureza e da obra humana. Uma de suas utilizações mais famosas está no Parthenon, que tem suas dimensões baseadas nesse número, onde dividindo por exemplo, a profundidade pela altura, dava resultava no número ideal (Φ) que é aproximadamente 1,618.

proporção aurea

Esse também é um parâmetro para beleza física, dividindo a altura da pessoa pela distância da cintura até a cabeça, quanto mais próximo de Φ, mais harmônica a pessoa é vista.

homem-vitruviano-leonardo-da-vinci_bg

Isso nos lembra os estudos de Leonardo da Vinci sobre as relações entre as medidas do corpo humano em seu Homem Vitruviano.

Nos dias de hoje, utilizamos também a Razão Áurea em diversos lugares como projetos arquitetônicos, logotipos, embalagens e até mesmo no cartão de crédito e de visita.

No caso dos retângulos, eles serão tão harmônico quanto a divisão de seu lado maior pelo lado menor for próximo de Phi.

Assim, Phi representa o ideal, a perfeição.

A natureza da decepção

fiIsso exposto, o nome da esposa de Liam nos remete a essa idealização. A forma que ele a via e que serve como potencializador de sua decadência emocional. Apenas nos decepcionamos com aquilo que temos grandes expectativas. Assim, ao entrar em contato com o passado dela, com suas imperfeições, fraquezas e desejos, houve uma quebra nesse ideal que ele nutria por Fi.

É importante notar que a responsabilidade dessa idealização é de Liam. Ele que construiu uma imagem e durante sua relação não percebeu a realidade que acontecia em sua esposa.

Quando olhamos a história de alguém, vemos erros e acertos, somos todos seres humanos. Não é possível colocar o peso da perfeição nas costas do outro. Claro que mentiras, enganações e outros desvios de comportamentos destroem relacionamentos, porém são oportunidades para entendimento dos caminhos que levaram até essa situação. E se possível gerar aprendizado e desenvolvimento, qualquer que seja a decisão por parte dos envolvidos.

De qualquer maneira, esperar perfeição de quem está do nosso lado, é a antessala para se decepcionar, cedo ou tarde. E se você procurar, irá encontrar algum defeito. Mas a questão é: por que você está buscando isso?

De perto ninguém é normal – Caetano Veloso

Metade das lembranças reais serão esquecidas ou manipuladas

No jantar que Liam participa é dito que não se pode confiar nas lembranças produzidas pela mente e por isso é tão importante ter esse implante (Grain) em sua mente. Assim, a pessoa terá certeza absoluta de tudo que aconteceu com ela, podendo ver claramente quantas vezes quiser.

De fato a cada acesso às nossas lembranças as modificamos um pouco. Dependendo das sugestões e dos contxtos emocionais, essas informações são armazenadas e resgatadas de formas diferentes e muitas vezes distorcidas.

Quem nunca se encontrou com algum parente que conta uma história do passado e você pensa: “mas não foi assim que isso aconteceu!”.

Isso faz com que tenhamos cuidado com o peso e o julgamento que fazemos com aquilo que lembramos. Não podemos estar totalmente certos de que aquilo que ficou guardado em nossa cabeça é de fato a correspondência com a realidade.

Sempre temos que dar o benefício da dúvida e investigar com sobriedade e paciência aquilo que tentamos resgatar do passado. O relacionamento da mente com a memória não é tão confiável quanto gostaríamos que fosse.

Em tempo, especialmente na memória de longo prazo não diferenciamos muito bem lembrança de fantasia e imaginação.

Nunca diga algo que pode se arrepender depois: a pessoa se lembrará

cuidado com o que diz

Às vezes no calor da emoção dizemos coisas que não diríamos em um estado normal de consciência. Esse é um perigo muito grande porque quando dizemos algo que machuca a outra pessoa, ela se lembrará daquilo. E isso pode minar de vez uma relação.

No Episódio Toda a Sua História, Liam depois de uma discussão com Fi acaba ofendendo ela. E ela mostra várias vezes o que ele disse para ela.

Na hora da discussão, temos que buscar perceber quem está dizendo, se somos nós mesmos ou nossa raiva, tristeza ou frustração. O ideal é que não tenhamos conversas importantes em estados alterados de consciência. Se estamos tomados pela emoção, devemos dar um tempo para ventilar a emoção e então conversar com calma e ponderação.

Nada que surge de sentimentos ruins pode ser bom e construtivo. Sentimentos negativos, especialmente aqueles que são trazidos ao mundo por meio de palavras servem para destruir. Apesar de alimentar o ego de quem fala.

“Há três coisas na vida que nunca voltam atrás: a flecha lançada, a palavra pronunciada e a oportunidade perdida”

Sexo com lembranças de tempos quentes

‘Então existe uma garota quente esperando para ter sexo no andar de cima e você se vê na sala embaixo se masturbando se lembrando de alguma transa quente que teve com alguma outra mulher.’

A nostalgia afeta a nossa percepção de realidade. É como se o bom existisse apenas no passado e que o presente não tem graça nenhuma. Isso gera uma desconexão com as reais sensações uma vez que existimos apenas aqui e agora. Mesmo conseguindo reproduzir fielmente cada aspecto do passado, nunca pode ser comparado com o que está acontecendo no presente. A questão é que no que passou temos controle.

Então ao invés de lançar mão de estratégias de conexão e experimentação profunda do presente, é comum que se busque preencher um vazio no presente com algo de bom que aconteceu no passado. A questão é que isso não preenche nada.

Será que realmente é impossível que o presente traga sensações melhores do que suas lembranças? Ou queremos acreditar nisso para não enfrentarmos nossos demônios, arrumar a casa e aproveitá-la?

O vazio continua e muitas vezes aumenta. Isso pode levar a um distanciamento ainda mais das possibilidade de resolver verdadeiramente os problemas.

E com isso, aproveitar o presente.

O Eu que lembra e o Eu que experimenta

Segundo o Nobel de Economia Daniel Kahneman (Rápido e Devagar – Duas Formas de Pensar), existem dois ‘eus’ em nossa mente. Um que lembra e outro que experimenta. Atualmente estamos dando mais valor ao que lembra do que aquele que de fato sente o momento. isso podemos ver quando estamos em algum show e vemos pessoas vendo o espetáculo através da tela do celular porque o está gravando.

Ao invés de realmente aproveitar aquelas sensações, busca eternizar o momento para sentir algo no futuro. ma vida voltado para o depois, se esquecendo do mundo real, instantâneo e intenso que vivemos no presente.

O Poder do Agora

agoraEchart Tolle em seu O Poder do Agora nos chama a atenção para o fato de estarmos diante de uma epidemia de casos de Depressão. Para o autor, a depressão está relacionada diretamente com o Excesso de Passado.

As pessoas ficam revivendo momentos que aconteceram e não conseguem se conectar com o momento presente. Para Tolle, a solução para a felicidade e para a paz interior é viver o eterno presente. A solução está no hoje.

Gerar estratégias para deixar de estar preso no passado e viver intensamente o agora é a chave para ter uma vida produtiva e livre. E, fazendo coisas boas e produtivas no presente, nos dá também a serenidade de que o futuro terá consequências positivas, deixando-nos livres das preocupações com o que acontecerá.

“Não é possível servir dois senhores”

Outro livro que trata desse assunto é O Despertar da Tigre – Curando o Trauma de Peter Levine. Nessa obra o autor afirma que o trauma causa um congelamento do sistema de processamento de informação do cérebro naquele ponto da vida do indivíduo. Assim, ele fica revivendo infeinidamente aquela situação em sua mente.

Segundo Levine esse é um mecanismo de defesa que muitos animais tem para se proteger, especialmente de uma grande ameaça. Existe um mecanismo que presas usam quando estão prestes a serem pegas pelos seus predadores: se fingem de mortas. Seu sistema nervoso congela e a presa cai inerte. Isso dá a ela duas possibilidades: ou o  predador acha que está morta e não ataca; ou ela não sentirá que está sendo devorada. Caso ela seja deixada em paz, a presa simplesmente levanta e continua sua vida.

Nossa mente possui o mesmo mecanismo mas não conseguimos ‘descongelar’. E assim ficamos com o trauma em nossas vida.

Não ventilamos nossas emoções, não damos espaços para descarregarmos esse volume de emoção e seguir em frente com nossos dias.

Achando que a solução está no apagar da memória do outro

apagar a memoria do outroNão existe como apagar o passado. O que aconteceu, está ali naquele tempo, naquele espaço. E só. Nada pode ser feito com relação a isso. Para se livrar do passado deve-se fazer um processo de aceitação, ressignificação e aprendizado. O que posso fazer com isso que não tenho controle? Como esse fato pode ser bom para meu desenvolvimento pessoal?

Quando algo como o que foi mostrado em Toda a Sua História acontece, com o forçar do apagamento das memórias de Fi em Jonas (Tom Cullen) existe a dor por saber que outra pessoa também tem lembranças com a pessoa amada. Isso é algo muito profundo. Tem relação com uma profunda ruptura egoica. O indivíduo acreditava que era o único e então se depara com uma realidade diferente. Assim, sai em busca de ‘recolher’ as memórias, como se isso de alguma maneira apagasse o passado.

A raiva sempre quer corrigir o que entende por injustiça. Só que isso não desfaz o que aconteceu. E na verdade só piora as coisas.

Usando memórias como provas

puniçãoPressionar o outro para que conte detalhes de seu passado e então usar isso contra a pessoa é uma forma de aprisionar a pessoa em suas lembranças. É traze-la para seu congelamento naquele período de tempo e fazer com que ela reviva aquela situação. E muitas vezes para ela já está superada, mas que para quem pressiona ainda não está.

As memórias devem ser usadas para aprendizado, não para punição.

Ajudar o outro a se desenvolver com aquilo que lembra e não tornar a sua vida um inferno por conta do que passou. Muitos relacionamentos depois que sofrem abalos importantes como o de descoberta de infidelidades, por exemplo, passam a ser um constante relembrar desses momentos ruins. Quem foi traído diz que perdoou, mas continua com a pessoa para puni-la, para a ficar lembrando do que fez, mesmo muitos anos depois.

Já não somos as mesmas pessoas. Não faz sentido ficar repisando em erros do passado. Se existe o desejo de continuar com aquela pessoa, que seja feito o perdão genuíno e bola pra frente. Se a pessoa se vê incapaz de perdoar, talvez o melhor caminho seja cada um ir para o seu canto e seguir a partir daí.

O que você fez comigo?

O inferno são os outros – Jean-Paul Sartre

O filósofo francês Jean-Paul Sartre sustenta que aquilo que vemos de negativo nos outros na verdade é uma projeção do que temos de ruim dentro de nós. Projetamos nos outros nossas angústias, frustrações, medos e raiva. De forma consciente e inconsciente produzimos efeito no outro. Recebemos aquilo que emitimos.

As causas da mágoa muitas vezes vem da impressão de que o outro nos fez algum mal. Nos isentamos de responsabilidades genuínas e colocamos a inteira culpa no outro.

Na realidade, que recebemos do mundo é aquilo que emitimos para ele. No momento em que nos responsabilizamos por aquilo que acontece com a gente, temos a possibilidade de crescimento. Não podemos mudar o comportamento do outro, apenas o nosso.

Liam coloca a culpa em Fi e Jonas pelo ocorrido e entra em um processo destrutivo. É importante notar que ele em nenhum momento olha para dentro de si e busca compreender quais foram os caminhos que geraram aquelas situações. Nada acontece do nada, tudo vem de algum lugar, tem alguma origem de que alguma forma passou despercebido. E isso tem um poder de desenvolvimento imenso quando bem explorado.

Segundo o Budismo, nada acontece com a gente que não tenha a ver com algo que fizemos. Para essas consequências, eles dão o nome de karma.

Em uma situações negativa como essa, cada um tem sua parcela de responsabilidade e é momento de deter o seu passo e cada indivíduo olhar para o sua parte que contribuiu para que aquilo acontecesse. E usar isso para ser uma pessoa melhor.

Se você pudesse escolher, implantaria esse chip para ter acesso a Toda a Sua História?

Verdadeiramente você gostaria de ter todas acesso as suas memórias? O que você faria com esse poder? Isso traria paz ou tormento para os seus dias? Muitas vezes damos muita importância para o que passou e ficamos vasculhando o passado. Ele já acabou, não existe mais oportunidade ali. A única coisa que serve o passado é podermos tirar aprendizados valiosos dele.

Em Toda a Sua História, a maior parte da população escolha ter o chip. Isso denuncia o quanto as pessoas em geral estão focadas no que aconteceu e não no que está acontecendo. Como que se isso trouxesse algum tipo de segurança e também diversão. Na verdade se revelam mecanismos de controle e alienação.

Se você pudesse escolher, apagaria suas memórias?

No final do episódio, a dor, a decepção e a frustração de Liam frente à realidade de sua esposa Fi são tão grandes que ele decide eliminar de vez todas as suas lembranças. Ele arranca o chip e o episódio acaba.

você tiraria suas memoriasAlgumas vezes a dor é tão grande que não sabemos como lidar com ela. Queremos que simplesmente aquilo acabe, que nunca tivesse acontecido. E isso pode gerar pensamentos que levem a medidas extremas como fugas da realidade (vícios, hábitos nocivos etc.) ou algo pior como o suicídio. A questão não é desfazer o que aconteceu ou tirar a lembrança da mente. Mas aprender a lidar com ela. Entender os mecanismos que geraram essa ruptura.

Liam não consegue lidar com a realidade. Com um Fi imperfeita. Não consegue lidar com as lembranças de seus momentos de felicidade e ternura. Para não ter que enfrentar esse choque de visões e das lembranças de sua traição, prefere que apagar essas lembranças, mesmo que a custo de não lembrar de mais nada, inclusive as coisas boas.

 

Você pode gostar também de ler:

Análise do Episódio Volto Já | Black Mirror T2:E1

Toda a Sua História

Lorem, primeiro de tudo, ipsum, também, quem somos, outro, além disso, sit, finalmente, amet, porque, consectetur, assim.

Ut, do mesmo modo, enim, enquanto, ad, em contraste, veniam.

Toda a Sua História

Duis, parece que, aute, talvez, provavelmente, irure, quase, acima de tudo, in.

Lorem, primeiro de tudo, ipsum, também, quem somos, outro, além disso, sit, finalmente, amet, porque, consectetur, assim.

Ut, do mesmo modo, enim, enquanto, ad, em contraste, veniam.

Duis, parece que, aute, talvez, provavelmente, irure, quase, acima de tudo, in.

Toda a Sua História

Lorem, primeiro de tudo, ipsum, também, quem somos, outro, além disso, sit, finalmente, amet, porque, consectetur, assim.

Ut, do mesmo modo, enim, enquanto, ad, em contraste, veniam.

Duis, parece que, aute, talvez, provavelmente, irure, quase, Toda a Sua História, acima de tudo, in.

Lorem, primeiro de tudo, ipsum, também, quem somos, outro, além disso, sit, finalmente, amet, porque, consectetur, assim.

Ut, do mesmo modo, enim, enquanto, ad, em contraste, veniam.

Duis, parece que, aute, talvez, provavelmente, irure, quase, acima de tudo, in.

Toda a Sua História

Lorem, primeiro de tudo, ipsum, também, quem somos, outro, além disso, sit, finalmente, amet, porque, consectetur, assim.

Ut, do mesmo modo, enim, enquanto, ad, em contraste, veniam.

Duis, parece que, aute, talvez, provavelmente, irure, quase, Toda a Sua História, acima de tudo, in.

Lorem, primeiro de tudo, ipsum, também, quem somos, outro, além disso, sit, finalmente, amet, porque, consectetur, assim.

Ut, do mesmo modo, enim, enquanto, ad, em contraste, veniam.

Toda a Sua História

Duis, parece que, aute, talvez, provavelmente, irure, quase, Toda a Sua História, acima de tudo, in.

Lorem, primeiro de tudo, ipsum, também, quem somos, outro, além disso, sit, finalmente, amet, porque, consectetur, assim.

Ut, do mesmo modo, enim, enquanto, ad, em contraste, veniam.

Toda a Sua História

Duis, parece que, aute, talvez, provavelmente, irure, acima de tudo, in.

Lorem, primeiro de tudo, ipsum, também, quem somos, outro, além disso, sit, finalmente, amet, porque, consectetur, assim.

Toda a Sua História

Duis, parece que, aute, talvez, provavelmente, irure, quase, Toda a Sua História, acima de tudo, in.

Lorem, primeiro de tudo, ipsum, também, quem somos, outro, além disso, sit, finalmente, amet, porque, consectetur, assim.

Ut, do mesmo modo, enim, enquanto, ad, em contraste, veniam.

Toda a Sua História

Duis, parece que, aute, talvez, provavelmente, irure, acima de tudo, in.

Lorem, primeiro de tudo, ipsum, também, quem somos, outro, além disso, sit, finalmente, amet, porque, consectetur, assim.

Toda a Sua História

Lorem, primeiro de tudo, ipsum, também, quem somos, outro, além disso, sit, finalmente, amet, porque, consectetur, assim.

Ut, do mesmo modo, enim, enquanto, ad, em contraste, veniam.

Toda a Sua História

Duis, parece que, aute, talvez, provavelmente, irure, quase, acima de tudo, in.

Lorem, primeiro de tudo, ipsum, também, quem somos, outro, além disso, sit, finalmente, amet, porque, consectetur, assim.

Ut, do mesmo modo, enim, enquanto, ad, em contraste, veniam.

Duis, parece que, aute, talvez, provavelmente, irure, quase, acima de tudo, in.

Toda a Sua História

Lorem, primeiro de tudo, ipsum, também, quem somos, outro, além disso, sit, finalmente, amet, porque, consectetur, assim.

Ut, do mesmo modo, enim, enquanto, ad, em contraste, veniam.

Duis, parece que, aute, talvez, provavelmente, irure, quase, Toda a Sua História, acima de tudo, in.

Lorem, primeiro de tudo, ipsum, também, quem somos, outro, além disso, sit, finalmente, amet, porque, consectetur, assim.

Ut, do mesmo modo, enim, enquanto, ad, em contraste, veniam.

Duis, parece que, aute, talvez, provavelmente, irure, quase, acima de tudo, in.

Toda a Sua História

Lorem, primeiro de tudo, ipsum, também, quem somos, outro, além disso, sit, finalmente, amet, porque, consectetur, assim.

Ut, do mesmo modo, enim, enquanto, ad, em contraste, veniam.

Duis, parece que, aute, talvez, provavelmente, irure, quase, Toda a Sua História, acima de tudo, in.

Lorem, primeiro de tudo, ipsum, também, quem somos, outro, além disso, sit, finalmente, amet, porque, consectetur, assim.

Ut, do mesmo modo, enim, enquanto, ad, em contraste, veniam.

Toda a Sua História

Duis, parece que, aute, talvez, provavelmente, irure, quase, Toda a Sua História, acima de tudo, in.

Lorem, primeiro de tudo, ipsum, também, quem somos, outro, além disso, sit, finalmente, amet, porque, consectetur, assim.

Ut, do mesmo modo, enim, enquanto, ad, em contraste, veniam.

Toda a Sua História

Duis, parece que, aute, talvez, provavelmente, irure, acima de tudo, in.

Lorem, primeiro de tudo, ipsum, também, quem somos, outro, além disso, sit, finalmente, amet, porque, consectetur, assim.

Toda a Sua História

Duis, parece que, aute, talvez, provavelmente, irure, quase, Toda a Sua História, acima de tudo, in.

Lorem, primeiro de tudo, ipsum, também, quem somos, outro, além disso, sit, finalmente, amet, porque, consectetur, assim.

Ut, do mesmo modo, enim, enquanto, ad, em contraste, veniam.

Toda a Sua História

Duis, parece que, aute, talvez, provavelmente, irure, acima de tudo, in.

Lorem, primeiro de tudo, ipsum, também, quem somos, outro, além disso, sit, finalmente, amet, porque, consectetur, assim.

Por |2018-07-04T10:58:56+00:0012 fevereiro 2018|Análise|

Sobre o Autor:

Presidente do Instituto Loureiro de Desenvolvimento Humano e da Novah Agência de Comunicação. Desenvolvedor humano, coach, mentor, professor, escritor, matemático, terapeuta corporal ayurvédico e tântrico, autor e palestrante. Pesquisador e um dos pioneiros da aplicação integrada de técnicas e conceitos de Pedagogia, Coaching, Mentoring e Ayurveda no desenvolvimento de pessoas. Atuou durante mais de 20 anos como professor e palestrante, tendo desenvolvido milhares de pessoas ao longo desse período. Cursou Engenharia Civil, Bacharelado em Estatística, Licenciatura de Matemática e Marketing com especializações nas áreas de Psicologia, Educação, Marketing e Astronomia, pelas instituições USP, FGV, FAAP, UNIP. Violonista clássico, geek e colecionador de livros e documentos raros.

6 Comentários

  1. Emerson 23 de maio de 2018 at 16:11 - Reply

    Voce é SENSACIONAL! Não termino de assistir nenhum EP sem depois ver as suas resenhas… São poesias para meu conhecimento! Parabéns!
    Att: Emerson Barboza

    • Marco Aurélio Loureiro 23 de maio de 2018 at 18:00 - Reply

      Gratidão imensa, Emerson! Continue com a gente! Mensagens como trazem ainda mais energia para cá! Valeu demais!

  2. Hellen Esmil 20 de julho de 2018 at 01:26 - Reply

    Você é simplesmente sensacional! Seus textos são maravilhosos, a cada texto seu, um novo aprendizado. Parabéns!

  3. Letícia 20 de julho de 2018 at 16:15 - Reply

    Sensacional o jeito que você transcreve tudo aquilo que penso de forma mais intelectual, abrangendo toda ideia da série.

    • Marco Aurélio Loureiro 24 de julho de 2018 at 15:08 - Reply

      Muito obrigado pelas suas palavras, Letícia! Fiquei muito feliz ao ler a sua mensagem! Continue com a gente!

Deixe um Comentário